Proteína Urinária

Proteína urinária é basicamente a proteína presente na urina.

Quando os rins estão doentes e perdem proteínas na urina, damos o nome de proteinúria, que consiste num excesso de proteínas na urina e é indicador de várias doenças. Baixos níveis de proteína na urina são considerados normais, isso porque as proteínas são moléculas grandes e não conseguem passar através dos glomérulos ou filtros renais, sendo anormal a presença na urina.

A presença de proteínas na urina pode ser um sinal de que os glomérulos que são responsáveis pela filtração do sangue nos rins estão danificados. Glomérulos sadios tem a função de separar as substâncias do sangue que serão filtradas e eliminar o que não é útil na urina e preservando o que é importante no sangue.

Para a determinação de proteína na urina o ideal é fazer um exame de urina para identificar a presença de proteínas na mesma. O exame mais simples é o EAS (também chamado, em algumas regiões, de urina tipo 1 ou urina tipo 2) e pode ser feito com alguns mililitros de urina. Para quantificar a proteína na urina, existe o exame de urina 24 horas, que acaba sendo o exame mais solicitado para quantificar uma proteinúria.

Graus de proteinúria :

  • Proteinúria menor que 150 mg/dia: urina normal.
  • Proteinúria entre 300 mg/dia e 500 mg/dia: proteinúria discreta.
  • Proteinúria entre 500 mg/dia e 1000 mg/dia: proteinúria leve.
  • Proteinúria entre 1000 mg/dia e 3500 mg/dia: proteinúria moderada (subnefrótica).
  • Proteinúria acima de 3500 mg/dia: proteinúria grave (proteinúria nefrótica).

Proteinúrias discretas não causam sintomas ou sinais precoces de lesão renal, porém proteinúrias intensas, aquelas com mais de 1000 mg/dia, costumam provocar sinais e sintomas, urina espumosa e edemas nas pernas e quanto maior o grau de proteinúria,  maiores serão os edemas. O paciente pode apresentar anasarca, um quadro de retenção de líquidos grave com edemas generalizados, acometendo pernas, barriga, braços, face e até os pulmões e esse quadro se caracteriza por síndrome nefrótica.

Pacientes com proteinúria apresentam risco de evoluírem para insuficiência renal a médio/longo prazo.

Diversas doenças podem provocar lesões nos glomérulos e levar à proteinúria, entre elas devemos citar:

  • Câncer.
  • Diabetes mellitus.
  • Doenças primarias do Glomérulos.
  • Hipertensão arterial.
  • Lúpus.
  • Mieloma múltiplo.
  • Reação a anti-inflamatórios.
  • Sífilis.

A principal causa de proteinúria é o diabetes mellitus, motivo pelo qual todo paciente diabético deve fazer exames de urina rotineiramente, pois o aparecimento de uma proteinúria, é o primeiro sinal da nefropatia diabética, importante doença renal provocada pelo excesso de glicose no organismo.

A Biotécnica observando a importância da quantificação da proteinúria,  apresenta em seu portfólio o reagente de Proteína Urinaria (BT 10.016.00) com metodologia colorimétrica, já com o padrão incluso no kit para suas calibrações e o controle próprio. O kit de Proteína Urinaria encontra-se disponível para comercialização na apresentação mono reagente com volume total de 100 ml e protocolos para praticamente todos os equipamentos do mercado. Entre em contato com nossa equipe de vendas para melhores informações!

Luis Eduardo Firmiano Silva.
Biotécnica Ind. e Com. Ltda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *